Atendimento a pacientes e familiares 24h:
0800 400 4550
Redes Sociais

Blog

Notícias

Percepção de familiares e pacientes em assistência domiciliar sobre a transmissão de más notícias por profissionais de saúde.

Por Tatiana Maíta, Daniela Souza e Silvia Seligmann.
 
“Más notícias” são novas informações que alteram a percepção do indivíduo sobre a vida,
principalmente sobre o futuro, de forma negativa. Transmitir essas informações para uma pessoa
pode ser uma tarefa difícil, sobretudo para os profissionais da saúde. Para inibir essa situação, foi
criado o protocolo SPIKES, que visa orientar a transmissão de más notícias com base na observação
de diferentes dimensões: O preparo do profissional; A percepção do paciente; O convite para o
diálogo; A transmissão de informações; A expressão das emoções; Resumo e organização das
estratégias.
Em tempos de COVID-19, essa ferramenta é muito útil e deve ser utilizada pelos profissionais para
dialogar com pacientes e familiares.
Para investigar a percepção qualitativa de familiares e pacientes em assistência domiciliar sobre a
transmissão de más notícias por profissionais de saúde, foi feita uma pesquisa de Campo, com
abordagem qualitativa, que de acordo com Marconi e Lakatos (2010), tem a finalidade de analisar
informações sobre um determinado problema para qual se busca uma resposta. Participaram do
estudo familiares e pacientes (de 19 a 74 anos) em assistência domiciliar acompanhados pela
Assiste Vida Atenção Domiciliar no período entre maio e julho de 2020, todos os envolvidos
assinaram um Termo de Consentimento Livre e Esclarecido e preencheram um questionário com
perguntas objetivas e discursivas elaboradas com base nas diferentes dimensões do protocolo
SPIKE.

Recebem más notícias de um: Médico (86%); Enfermeiro (6%); Assistente social (3%); Psicóloga
(3%); Fisioterapeuta (2%)
O aspecto considerado como mais difícil ao receber uma má notícia: A forma como o profissional de
saúde transmitiu a informação para (36%); A má notícia propriamente dita (30%); A percepção de
que sua vida iria mudar completamente após a má notícia (21%) ; O próprio despreparo para
receber uma má notícia (13%).
Os danos relacionados à forma como a notícia é transmitida e o despreparo dos profissionais podem
ser evitados. O protocolo SPIKES ajuda nesta transmissão, desenvolvendo maior habilidade no
transmissor. Trazer esse tema à tona colabora para a sensibilização e promoção de reflexões mais
profundas, levando novos estudos que reflitam as necessidades na comunicação de más notícias
considerando o contexto sócio cultural, espiritual e características individuais dos receptores. Tratar
esta questão pensando na pessoa de maneira integral e humanizada pode mudar os resultados
desta pesquisa e transformar para melhor a condução deste aspecto.